quinta-feira, 30 de junho de 2016

Como Eu Era Antes De Você - Crítica


Depois de muitos anos (não que tenham descoberto a América), mas os produtores se renderam aos livros para contar suas historias, não é de hoje que isso acontece, mas por algum motivo (falta de criatividade), vem se tornando cada mais frequente. Não que eu não goste, mas é um pouco frustrante ver a preguiça em criar, recorrendo a roteiros prontos em livros consagrados. Falando especificamente de Como eu era antes de você, foi tomado um cuidado extra nesse ponto que eu acho super valido, a adição da própria autora do livro (Jojo Moyes) para participar da adaptação.

A adaptação ficou muito superior a outros filmes derivados de livros, muito pela atuação do casal principal Emilia Clarke e Sam Claflin (respectivamente Louisa Clark e William Traynor). Eu gostei mais da atuação do Sam, que a da Emilia, mais convincente e mais trabalhada que a dela.
O filme, como outras adaptações, peca pelos mesmo problemas de sempre, o tempo do filme, a falta de cenas marcantes nos livros não levadas pra telona, até você se acostumar no inicio do filme, as coisas vão acontecendo rápido, com certeza poupando tempo/roteiro. Os personagens secundários conseguem executar até que bem seu papel, os familiares de cada um, mostrando o abismo e a diferença de classes sociais entre eles foi muito bem retratada. Outro ponto negativo foi o então namorado de 'Lou', Patrick (Matthew Lewis), mais conhecido do publico por seu papel em Harry Potter como Neville Longbottom, claramente destoante dos demais.

A medida que o filme se desenrola, você até torce para que tenhamos um final diferente do livro, já que a maioria das pessoas que vai assistir ao filme, já conhece seu fim trágico. Muito se da pela simpatia do casal que se desenrola em tela. Porém é do terceiro ato em diante que a coisa fica feia, é difícil não se emocionar uma única vez até o fim do filme, cenas fortes e marcantes, mas foram feitas e dirigidas de uma forma leve e delicada, (a cena da volta da viagem, ela entrando no ônibus e vendo junto com seu fracasso o desespero dos pais me ganhou rsrs), cenas foram dirigidas com o tom certo, a trilha sonora nesse caso faz toda a diferença, musicas escolhidas a dedo para emocionar o mais carrancudo dos sujeitos kkk.. Preparem os lenços!!!!

O filme começa como uma comedia romântica, mas termina como um drama de primeira linha, vale a pena conferir.
E vocês, já viram o filme ou leram o livro? Gostaram ou não gostaram da adaptação? Deixe seu comentários e vamos discutir.

Tarcisio ^^)


"Oi!! olha eu (Bru) invadindo aqui a coluna do meu amigo, porque não me aguento quando o negócio é adaptação de livros para as telonas. Como tenho um coração generoso não vou alfinetar tudo. Em primeiro lugar concordo com praticamente tudo que o Tarcisio escreveu, a única divergência é sobre a atuação de Emilia, porque pra mim, ela interpretou exatamente a personagem Lou, foi impecável, assim como o gostoso do Sam, sendo Will. Preciso enfatizar também que a trilha sonora foi demais, Photograph (Ed Sheeran) nunca mais terá o mesmo significado pra mim. Mas como na vida nem tudo são rosas o roteirista escorregou feio colocando de lado a história de vida de Lou. PQP, o labirinto foi completamente ignorado! E pra quem não leu o livro deixou de conhecer sobre o labirinto, as tatuagens, a faculdade de moda, os chats, o mercenário do Patrick, uma impressa carniceira e o mais importante de tudo a incrível discussão sobre empatia, amor, respeito e escolhas. Claro que não haveria tempo hábil para retratar tudo em um filmes, mas infelizmente a essência do tema polêmico se perdeu em uma caminho romantizado. O filme sem dúvida é lindo, um lindo e dramático romance. Bom vou ficar por aqui, pois já falei demais. But, quem quiser conhecer um pouco mais do livro tem resenha AQUI! Beijos, Bru. "

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...