sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Resenha: O Inferno de Gabriel

Título: O Inferno de Gabriel
Gênero: New Adult





Título Original: Gabriel's Inferno
Autor: Sylvia Reynard
Editora: Arqueiro
Sinopse: A salvação de um homem. O despertar da sexualidade de uma mulher.
Enigmático e sedutor, Gabriel Emerson é um renomado especialista em Dante. Durante o dia assume a fachada de um rigoroso professor universitário, mas à noite se entrega a uma desinibida vida de prazeres sem limites.
O que ninguém sabe é que tanto sua máscara de frieza quanto sua extrema sensualidade na verdade escondem uma alma atormentada pelas feridas do passado. Gabriel se tortura pelos erros que cometeu e acredita que para ele não há mais nenhuma esperança ou chance de se redimir dos pecados.
Julia Mitchell é uma jovem doce e inocente que luta para superar os traumas de uma infância difícil, marcada pela negligência dos pais. Quando vai fazer mestrado na Universidade de Toronto, ela sabe que reencontrará alguém importante – um homem que viu apenas uma vez, mas que nunca conseguiu esquecer.
Assim que põe os olhos em Julia, Gabriel é tomado por uma estranha sensação de familiaridade, embora não saiba dizer por quê. A inexplicável e profunda conexão que existe entre eles deixa o professor numa situação delicada, que colocará sua carreira em risco e o obrigará a enfrentar os fantasmas dos quais sempre tentou fugir.
Primeiro livro de uma trilogia, O inferno de Gabriel explora com brilhantismo a sensualidade de uma paixão proibida. É a história envolvente de dois amantes lutando para superar seus infernos pessoais e enfim viver a redenção que só o verdadeiro amor torna possível.



Gabriel era a personificação da arrogância e prepotência. Exibido, mal humorado e com péssima fama na família, e um histórico de antecedentes desconhecido, misterioso, portanto nada de bom pode surgir daí.

Julia é a moça virgem, pobre, batalhadora, inteligente, que cora com elogios e um desastre ambulante. - consegue fazer farelo com sopa e derrubar por todo o tapete persa mais próximo. Vive assustada  e é facilmente intimidada por qualquer pessoa. Apresenta baixa autoestima e autoconfiança. Apesar de tudo abandona a cidade natal pra correr atrás de sua carreira.

Ele professor e ela a aluna, e isso e a hierarquia e poder é meio clichê, mas a de incio não temos muita informação sobre a relação deles, mas da para perceber que existe um passado em comum entre eles, mas só. Migalhas de informações, desse mistério são contados por devaneios de Júlia. Porém para ficar ainda mais confuso, Julia, nos mostra lembranças que não se encaixam, que nos deixa confusos.

Por outro lado, ao que parece, Gabriel sequer lembra desse momento real - será que não significou nada pra ele? Ou está fingindo?, essas são algumas hipóteses que levantamos. Contudo os detalhes e sutilezas dela (como o cheiro de baunilha) despertam algo nele, como um dejavù.


 Ao longo do livro, as confusões aumentam, mas aos poucos conseguimos compreender o fatídico dia em que Julia e Gabriel se conheceram, e os motivos pelos quais cada um tem uma lembrança incomum para o que aconteceu. Também compreendemos as outras lembranças infelizes de Julia.
A relação deles lembra muitos os romances de época, e acredito que isso acontece na relação por influência da paixão de ambos pela literatura de Dante. É uma viagem no tempo, em que você acaba se lembrando que é um romance contemporâneo quando na narração aparece um Iphone tocando, ou uma chamada de voo. Portanto não esperem cenas de sexo enlouquecedoras, pelo menos nesse primeiro volume não vai rolar rs.
Temos um drama, dois dramas, alguns dramas, e por mais que sejam temática polêmicas, não são intensos, não sei se isso me agrada, não dá pra dizer isso só com a leitura do primeiro livro, mas vou deixar essa parte em aberto.



Antes de começar o livro tinha lido comentários negativos dessa série, comparando-a com 50 Tons. Quanto a isso o que tenho que dizer é que a escrita Sylvia, não se parece em nada com a de Érica, aliás, não se parece com nada que eu já tenho lido em livros NA. Encontramos aqui um arranjo entre a sensualidade e o romance romântico - o nostálgico flerte, cortejo e a sedução gradual, sensual e poética, isso mesmo, poética! Tendo muita influência da obra sobre Dante e da cultura Italiana. Contudo, muitos elementos nos remete a trilogia 50 Tons, contudo isso não compromete a obra que é muito boa. Eu realmente não esperei tanto dela, e por esse motivo demorei tanto pra ler, mas a surpresa foi grata e vou continuar.

Quem ai já leu? Me contem o que acharam?

Super beijo, Bru
=)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...