terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Resenha: Meu Querido Meio Irmão/ Penelope Ward

"Como é irônico que esse cara que não fez nada além de tenta me afastar e intimidar, era a única pessoa no mundo que eu senti que quis me proteger"


O livro foi uma grata surpresa, confesso que não esperava muito - imaginei o clássico clichê do sexo proibido, mas não foi bem assim.
Elec precisa conviver a contra gosto com seu pai e sua nova família por um ano. Ele pretende botar a cheque a tranquilidade daquela família. Mas ele realmente não mede esforços para aterrorizar principalmente Greta, a entrada do seu pai, esse que passa a se comportar de maneira nada tradicional ao de costume.
Fazendo Greta questionar o caráter do mesmo é a relação dele com o próprio filho. Aos poucos Greta consegue alcançar alguns segredos do passado do seu irmão postiço e atravessar a barreira entre eles. Contudo as coisas estão indo além do que ele gostaria e por mais que tente se manter longe de Greta, ela parece conseguir enxergar através de toda sua amargura, dor e brutalidade.
E quando as coisas realmente fogem do controle e a separação é iminente - o futuro parece incerto demais.
Um salto no tempo e um desastre, nos faz ter o brilho da esperança no fim do túnel, mas pra que mesmo? Para a autora jogar um balde de água fria na gente, e logo em seguida nos devolver aquela maldita esperança que nos faz desejar não ter escrúpulos e pensar única e exclusivamente no nosso casal. Quando estamos estabelecendo um equilíbrio a autora joga logo o oceano Ártico na nossa cabeça. E a partir daí continuei a leitura, buscando outras formas de todos terminarem felizes, porém uma revelação acaba com tudo o que foi construído em mais um salto no tempo e se não fosse trágico seria realmente digno de reallity Show, como o próprio protagonista comenta.
As reviravoltas e os saltos no tempo são o ingrediente chave nesse livro! Nunca estamos preparados pro próximo capítulo, pois nunca sabemos se ele se trata de um dia depois ou um ano depois. O desfecho é digno, em todos os sentidos e lindamente desenvolvido. Amei e já quero o segundo livro da série! Quando teremos @pandorgaeditora?


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
=)

sábado, 28 de janeiro de 2017

Resenha: A Fera em Mim/ Serena Valentino


"É difícil sentir pena daqueles dispostos a viver em um desastre. Eles são suas próprias ruínas, minha querida. Fazem isso consigo mesmos. Não merecem sua misericórdia."


Como prometido, a edição traz a versão do clássico conto A Bela e a Fera, contada pela Fera.
A princípio achei que teríamos acesso ao conto a partir da chegada da Bela ao castelo, ou no máximo a partir do príncipe ser amaldiçoado. Porém foi uma ótima surpresa conhecer o Príncipe antes da transformação, aliás, príncipe apenas por título, porque o rapazinho arrogante, prepotente, fútil e narcisista. Para sua sorte ele era cercado de empregados fiéis que o viram crescer e tinham esperança que a generosidade e bondade ainda existissem dentro dele. Mas digamos que Gaston seu amigo, não era um modelo ou influência para generosidade e bondade. E foi a incapacidade de enxergar além das aparência e aprender com os próprios erros que o levaram a ruína.
O livro é realmente muito bom! Uma fantasia linda, com uma versão bem mais sombria, porém eu conseguia ouvir a voz da narradora da Disney e assim como no filme Malévola, os hiatos do vilão longe da princesa são os mais surpreendentes - as lutas e dramas pessoais, a ajudas do amigos menos prováveis em formas peculiares, criaturas mágicas e encantadoras lutando pelo final feliz dos protagonistas nos bastidores.
A Bela e a Fera é meu conto favorito, e essa versão é linda 🌹🦁👸🏼!


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
=)

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Resenha: Rock Star - Livro 4/ S. C. Stephens


"Os sacos de grãos de café guardador nas prateleiras e no piso faziam o lugar todo cheirar como a nossa bebida favorita da manhã. Isso era algo que compartilhávamos todos os dias."


Quem me conhece sabe que não sou fã de livros com a mesma estória sob o ponto de vista de outro personagem. Porém Rock Star, foi uma grata surpresa, mas acredito que isso se deve ao fato de terem havidos hiatos de longa ausência de Kellan nos livros anteriores da série.
Aqui entramos mais a fundo na infância e adolescência de Kellan, a relação abusiva e conflituosa com seus pais, o verdadeiro papel de Denny em seu passado e a salvação que a música foi em sua vida.
Conhecemos um Kellan que anseia por algo a mais, algo que preencha o vazio em sua vida, mas sequer conhece o que pode ser. Ele só sabe que se sente vazio, e busca incansavelmente em lugares e pessoas a cura para aquela dor.
Não imaginava conhecer alguém tão frágil, quebrado e infeliz. Toda a raiva que senti dele, pelo comportamentos D-Bags se dissolveram nessa leitura, e só consegui sentir compaixão. Ele só desejava a simplicidade de ser querido, amado, cuidado, esperado e importante, coisa que ele nunca foi e nunca sentiu ou partilhou ao longo de sua vida. O problema é que quando somos privados disso tudo, não aprendemos e não sabemos agir e reagir diante sentimentos tão humanos e profundos, Kellan não sabia lidar com tudo aquilo que sentia perto de Kiera, a vida não o preparou para aquilo, sempre sentiu indigno de qualquer afeto verdadeiro.
Eu realmente amei essa versão! Ela foi muito esclarecedora, Kellan teve que suportar muita mais coisas que podíamos imaginar na versão de Kiera. Aqui ela continua a mesma garota perdida, insegura e imatura, mas Kellan não fica muito atrás.
E a reaproximação dele com Denny depois de toda revelação sórdida, foi mais intensa e acalorada do que imaginávamos. Além de ter todo o plus nos hiatos do coma de Kiera e a longa e excruciante separação do casal! Ufa... INTENSO DEMAIS devia ser o título desse livro!
Queria muito saber se a @edvalentina vai lançar um spin-off de Griffin aqui no Brasil! Alguém tá sabendo?


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
=)

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Resenha: A Menina Que Não Acredita Em Milagres/ Wendy Wunder


"E ela estava satisfeita. Tinha o carro, tinha um pássaro e estava na estrada, correndo. Se ela continuasse a correr talvez o câncer nunca a pegasse."
.
.
Uma garota com os dias contados, uma lista de desejos a cumprir já que o ato mágico de escrevê-los e eles acontecerem não deu certo, provando que milagres não existem, e se quisesse precisaria fazer tudo por conta própria.
Mas quando todas os probalidade estão contra e os métodos esgotados, resta a esperança em um milagre.
Uma viagem! Para Cam a chance que cumprir uma promessa feita ao pai, para Alicia, mãe de Cam, a busca de um milagre. Um lugar mágico, capaz de fazer chover mini peixes do céu e curar todas as doenças.
Livros com essa temática são intensamente complicados, principalmente com protagonistas jovens. É um tabu falar sobre câncer, agora usar as palavras câncer e adolescente em uma mesma frase é praticamente inconcebível. Não estamos preparados para lidarmos com isso, e talvez esse seja o motivo da incessante busca pela cura. Muitas vezes é pior lidar com as possíveis ou impossíveis expectativas de cura dos que estão a volta do que administrar a si próprio, sua nova realidade, limitações e vontades. E entre se entregar e aguardar a morte, e ter de se submeter a esperança alheia, existe uma perda ainda maior de si e sua subjetividade.
Talvez a viagem em família de Cam, tivesse significados diferentes para cada uma, mas a cada parada consigo visualizar um fechamento de ciclo até a encantadora e encantada Promise. Onde a magia acontecia e a linha tênue entre a realidade e sonhos desaparecia completamente.
A livro nos remete a reavaliar o significado de esperança e milagre. O que é um milagre? Qual seria o milagre de hoje! Nos faz refletir do quanto de valor e lugar de destaque damos aos nosso problemas, deixando de lado as pequenas conquistas e felicidade que estão a nossa volta. Às vezes a dor e a perda são tão grandes que tornam nossa visão turva para tudo ao nosso redor. O final é lindo de tirar o fôlego - um drama jovem, que tinha tudo para ser pura tristeza, mas é sobre a vida, sobre viver❤! Surpreendente belo!


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
=)

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Lançamento: Bad Romeo Christmas/ Leisa Rayven


Já tão sabendo da novidade?
A série vai ganhar mais um integrante! Isso mesmo!!! A @globoalt divulgou hoje e eu não tô me aguentando de ansiedade!
Tudo indica que será um conto de Natal #BadRomeoChristmas , o livro foi lançado por lá no fim do ano passado. Por aqui ainda não temos nada além da confirmação do lançameno!
Oremos🙏🏻!


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
=)

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Resenha:Bela Chama - Irmãos Maddox Livro 4/ Jamie McGuire




"Por trás de todo músculo e pose de bad boy, Tyler era bom, o que significava que eu era ruim pra ele. Mesmo sendo melhor do que eu costumava ser."


O livro é todo narrado por Ellie, milionária que gasta seu dinheiro, tempo e vida bebendo, se drogando e dando festas na mansão de seus pais. E é numa dessas festas que ela conhece Tyler Maddox, como todo Maddox o primeiro "encontro" acontece entre uma briga, mas Ellie não se assusta ou qualquer coisa do tipo, ela curte e bastante.
Ellie, é uma versão piorada de todos os vícios de todos os irmãos Maddox em conjunto. Sim, ela bebe, se mete em confusão, troca de parceiro com mais frequência que troca de roupas e não se importa nem um pouco com isso. Tyler é apenas mais um, em uma noite qualquer.
A principio isso é tudo o que Tyler também quer, uma noite sacana e nada mais, afinal é assim que ele vive. Mas toda a petulância, agressividade e maldade nas palavras de Ellie, encanta-o - vai entender esses irmãos, parece que caçam as mulheres mais loucas e problemáticas.Tudo indica que Ellie nçao suporta Tyler, a não ser que seja para usar e abusar do corpinho do bombeiro, diga se de passagem a genética Maddox é de tirar o fôlego.
O que ela não sabe, é que sua vida esta pra vira de ponta cabeça, e Tyler será como unha e carne com ela, não por opção, mas por obrigação. Talvez esse tempo que passem juntos possa amolecer o coração de pedra de Ellie, ou não!Apesar de todas as tentativas, amar não é suficiente, ou o amor não seja o suficiente pra enfrentar todo o tornado de problemas em que Ellie vive. Quanto tudo parece estar perdido, a última maneira de se salvar e salvar as pessoas as quais nos importamos é se afastar, mudar o caminho, o rumo e seguir novos horizontes.
Talvez essa seja a primeira vez que um Maddox seja arrastado pro inferno e deixado lá.
Eu amei conhecer Tyler, ele é o casca grossa, bruto, com a essência doce, leve e bem humorado. Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivrosBeijos, Bru
=)

sábado, 21 de janeiro de 2017

Resenha: Em Busca de Cinderela/ Collen Hoover


"Passo um braço ao redor de seu corpo, abaixo a testa até ficar de sua cabeça e fecho os olhos. Não digo nada. Não faço nada. Fico apenas a abraçando enquanto ela chora nós próprios braços."


Em Busca de Cinderela é um spin-off da série Hopeless, tendo como protagonistas da estória: Daniel e Six, que são respectivamente melhores amigos de Dean e Sky, o que é super bacana, pois esbarramos com eles por aqui
e saberemos um pouquinho mais do que rolou depois de Sem Esperança.
O livro é narrado em primeira pessoa por Daniel, que encontra-se em um faz de conta misterioso no armário do colégio, com uma garota que vai perturbar seus pensamentos durante um bom tempo. No entanto, não conseguindo encontrar a garota misteriosa que conheceu em um armário escuro, e já passado um ano, Daniel está em um relacionamento infeliz e desgastado, com uma garota que não tem afinidade nenhuma com ele. Nesse momento ele conhece Six, amiga de Hope que esteve na Itália em intercâmbio.

A atração dos dois é quase que imediata. Six é exatamente a garota nada convencional as quais Daniel está acostumado, encantado por ela, eles iniciam um namoro repentino, porém um reconhecimento poderá dispertar segredos enterrados a algum tempo, com os quais Six não quer lidar e Daniel poderá não compreender. O que tinha tudo pra dar certo corre risco de acaba mais um vez sem o seu final feliz.

A leitura é fluida, e apesar de ser um conto de Hopeless, a estória é bonitinha, mais leve que Um Caso Perdido e Sem Esperança, mesmo assim intenso e dramático, porém recheado com o humor, de um casal pouco convencional.
Apenas o final que achei meio fast e que faltou um fechamento, algumas pontas ainda me intrigaram. Você tiveram a mesma impressão?

Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
 💙😘

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Resenha:Obsidiana/ Jennifer L. Armentrou


Alguém afim de um vizinho de outro planeta?
"- Você é o que? Um vampiro?
Ele revirou os olhos.
- Tá falando sério? .
- O quê? - Não disfarcei a frustração. - Você me diz que não é humano, mas não diz o que é! Você parou um caminhão sem tocar nele!
- Você lê demais. - Daemon expirou devagar."


Obsidiana é narrado por Katy - adolescente que acabou de se mudar para uma pequena cidade e vive apenas com sua mãe. Tem um vizinho dono de uma beleza surreal, e com uma identidade nada humana - Eu sei o que dirão, tá, tá, é um enredo muito conhecido com o do livro Crepúsculo, mas, a construção dos personagens é muito mais legal. Quando digo legal, é no sentido divertido. Katy não é nada apática (como a Srta Bella Swan/ Sra. Cullen), ela é engraçada, desastrada, atrevida e debochada. E ele, apesar de salvar a vida dela e por em risco o segredo de sua raça (também típico) é arrogante, sagaz, provocante e mau humorado, apesar de perfeitamente e hipnotizantemente lindo!
O livro é muito dinâmico e engraçado. A trama é leve e conhecida, mas mesmo assim adorável e envolvente, isso justamente pela construção dos personagens ser bem diferenciada dos livros que li do mesmo gênero (Crepúsculo, Fallen, Os Imortais...). Mas a história por trás de tudo isso é muito diferenciada, mais intrigante, instigante e misteriosa.
Claro que uma humana descobrir os segredos de uma raça alien denominada Lux, colocará tudo de pernas pro ar, despertando também a atenção de seus inimigos; os Aurum.
Ah!!! E como não se apaixonar por Katy? Se ela é uma blogueira que resenha livros *----*!! Simmm, ela é uma de nós, vivendo as improváveis estória de um de seus livros.
E posso garantir que a coisa só melhora no segundo livro, nano spoiler 🙊🙉🙈!
Mais alguém ansioso pelo terceiro da série? 💚👽


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
=)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Resenha: O Príncipe dos Canalhas/



"E no coração negro e duro de lorde Belzebu, como nos pântanos de Dartmoor, a chuva doce caiu e uma semente de amor brotou naquela terra que até pouco tempo era estéril"


Foi meu primeiro contato do romance de época, a princípio achei a narrativa, o contexto e descrições estranhas, parecia que o esteriótipos contidos no livro estavam errados, não combinavam entre si.
Dain foge nasceu e cresceu renegado pela própria família, passou por todos os tipos de agressões imagináveis, mas ele nunca se comportou como vítima ou algo do gênero. Ele era a prova de todas as contrariedades que uma sociedade arcaica podia suportar. Porém o menino cresceu e ascendeu sobre toda a sociedade, adorado, invejado, temido e odiado pelo mesmo motivo, sua genialidade para fazer fortuna e a ausência de qualquer tipo de afeto.
Jessica, foi chamada pra salvar o irmão das garras de Dain. A moça foge total e completamente do papel feminino daquela época. Ousada, inteligente, irônica e pouco ligando para as tradições a moça deixa muito marmanjo no chão. Dain podia ser comparado a Belzebu, mas Jess conseguia fazer o grandão tremer na base são com um olhar. Sua ousadia, sagacidade o intrigava - que mulher seria aquela que não se intimida por sua presença?
Apesar de toda armadura e comportamento depravado, temos vislumbres de um Dain vulnerável, aquela mesma criança solitária e rejeitada, que não se encaixa em nada. E todo esse histórico de vida nubla sua visão de Jess, a julgando com base na única quase relação que teve no passado. Os casal improvável tem mais afinidade que imagina e talvez a Bela Jess, possa transformar e resgatar o coração negro e sem vida da Fera Dain. A ousadia da moça mais que o irrita, porém ele não sabia que o silencia dela seria mais doloroso do que nunca. Agora o passado está batendo na porta do Duque, esfregando lhe na cara uma cópia fiel e a possibilidade de fazer a escolha certa e encerrar um ciclo.
Não tem nada que eu não tenha amado nesse livro! A trama e a época são encantadores, os diálogos são recheados de surpresas e ousadia, e os dramas são controláveis, não são angustiantes, mas passíveis de serem trabalhados. A valorização do diálogo e do comportamento empático me ganharam, assim como as análises dos fatos. Um romance de época improvável e surpreendente. ❤


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
=)

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Resenha: Sr. Daniels/ Brittainy C. Cherry


"Não tenho medo de perder você. Tenho mais medo de me perder. Só não me faça escolher. Pois vou escolher você."


Sr. Daniels é um romance lindo, cheio de drama, música, poesia, amor, ternura, cuidado, reciprocidade, respeito, dedicação e recomeços. É uma leitura intensa, faz rir e chorar, e nos da esperança em tempos de fastlove.
Dois coração despedaçado em um único lugar, o trem com destino á Edgewood.
Ashlyn acaba de perder a única irmã e amiga e vai morrar com o pai e sua nova família, o que inclui dois meio irmãos com idade, uma nova rotina, e novos padrões para se adaptar. Longe de estar bem, ela não consegue superar a perda da irmã. Ao esbarrar com um estranho, ela reconhece em seu olhar a familiar dor e perda e as afinidades vão muito além disso.
Daniel, é professor de inglês e músico, tem alma de artista e as dores de um mártir. Carrega em sua bagagem inúmeras perdas e solidão oie escolha. Porém a luz no fim do túnel de Daniel tem nome, e por uma peça do destino, ela é filha do vice-diretor e a separação é iminente.
Vivendo um amor proibido pela ética profissional. Cada qual perdido em seu mundo e sua dor, destroçados tentando se reconstruir e construir algo juntos, mas talvez isso seja demais.
Fantasmas do passado a espreita para compilar ainda mais dor a Daniel. Já Ashlyn, tem uma lista de tarefas deixada pela Irmã, e a cada item riscado ela tem a oportunidade de reencontrar sua metade perdida. Até onde o amor consegue sobreviver onde a esperança começa a se esvair?! Às vezes as pessoas precisam simplesmente passar por nossas vidas, mas a permanência seria destrutiva! Eu amei demais!!!! Aliás, @bcherryauthor arrasa sempre! Tem um escrita deliciosamente envolvente! ❤😘


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
=)

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Resenha: A Vingaça Veste Prada/ Lauren Weisberger



 
O livro se passa 10 anos depois de Andy ter comido o pão que o diabo amassou com seu sapato Prada, sendo assistente de Miranda.
Agora a moça está noiva de Max, não, eu não errei o nome e é chefe editora da The Pluge, uma revista que está no topo editorial, junto com sua melhor amiga Emily, acreditem eu também fiquei pasma! A revista em destaque acaba chamando atenção de uma certa entidade do mal chamada Miranda, que quer a todo custo uma reunião urgente.
O livro gira em torno dos dramas pessoais de Andy que está insegura com o casamento, maternidade e as escolhas que a levaram até ali. O que vemos ao longo do livro é um a Andy fraca, imatura é nada assertiva - se esquivando de tudo o que pode, à beira de um ataque de pânico. Realmente não parecia em nada com a ousada, inteligente, determinada e madura Andy de dez anos atrás, o que é um pouco irônico - mas já dizia meu avô "maturidade não tem nada a ver com idade" - tive a impressão que ela se tornou exatamente tudo o que não queria ser é julgava fútil.
No li o primeiro livro, mas amei o filme, e sempre o livro é melhor, logo criei expectativas estratosféricas para a continuação, e depois de ler o título quase surtei imaginado o encontro bombástico, cheio de humor ácido e personagens icônicos e não foi bem assim.
Acho que o livro me fez compreender ainda mais o quanto o ambiente controla e molda nossos comportamentos, o quanto o ambiente social e cultural tem um influência na nossa concepção de personalidade e caráter. A transformação de Andy pra mim é basicamente isso. Mudou o ambiente, os amigos, o trabalho e ela mudou também, ficou mais parecida com essa nova realidade e perdeu os reforçadores que mantinham os comportamentos passados.
Quem mais já leu? O que achou?


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
=)

sábado, 14 de janeiro de 2017

Resenha: Corte de Névoa e Fúria/ Sarah J. Maas



" - Você mandou aquela música para minha cela. Por quê?
A voz de Rhysand estava rouca.
- Porque você estava se partindo. E eu não soube encontrar outra forma de salva-la."


O início do segundo livro me comoveu, me causou um desconforto palpável. A antes agitada, afiada e determinada Feyre, se tornou a apática e entristecida Grã-Feéria. Não consigamos mais ser contagiados pela energia dela, como se tudo tivesse esvaído no confronto com a Amarantha.
E pra vida não ficar sem graça Rhy faz sua aparição triunfal no livro, e quando digo triunfal é algo digno de Hollywood mesmo! Aaaah, o Grão-Badboy da Corte Noturna e extremamente envolvente nesse livro. O tipo babaca gostoso e irresistível dos clássicos NA.
Rhy é a tentação quando seu relacionamento com o mozão não está indo muito bem sabe?! "Tô aproveitando cada segundo antes que isso aqui vire uma tragédia" e o hino da turbulenta vivência de Feyre em terras "inimigas". Até o ar debochado de Rhy é encantador, boymagya da noite, literalmente.
Rhys passa mensagens ambíguas! Quando acreditamos no discurso dele, algo nos faz questiona-lo mesmo que sutilmente. O final é arrepiante! Épico! Da vontade de sair atras da autora e implorar por uma dose extra!
A muito tempo não lia uma fantasia tão boa. Os livros são uma releitura do clássico A Bela e a Fera.
A escrita da autora é espetacular, ela descreve os cenário e personagens tão minuciosamente que nos coloca dentro da dimensão da estória, íntimos dos personagens e suas particularidades. Nos envolve na trama e na magia dos acontecimentos que não percebemos pra onde está nos levando. Como uma pessoa entorpecida, não enxergamos o erro iminente mesmo a um palmo de nossos narizes, nos agarrando a idealização do que foi descrito e oferecido como verdade imutável, até levarmos uma rasteira e percebermos que a Fera está mais pra Gastão, no comando de uma relação abusiva. E a princesa altruísta demais precisa ser resgatada de si mesma e das antigas convicções que tinha. O príncipe talvez seja o mais improvável, e talvez não seja um príncipe de contos de fadas, mas um parceiro e amigo para toda hora.


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
=)


sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Resenha: Mar da Tranquilidade/ Katja Millan


"As pessoas gostam de dizer que o amor é incondicional, mas isso não é verdade. E mesmo que fosse incondicional, o amor nunca é de graça. Sempre vem acompanhado de uma expectativa. Todo mundo sempre quer algo em troca."


O livro é narrado pelo protagonistas Josh e Nastya. Dois personagens com tragédias e dramas pessoais. A princípio não sabemos nada do passado de ambos. Mas posso afirmar que socializar é algo que nenhum dos dois querem. Nastya adora uma armadura e personagem agressiva que definitivamente afasta as pessoas. Porém o que mais me intrigou foi crer que o desastre passado teria acabado - fisicamente - não só com seus sonhos futuros, mas também com a sua possibilidade de comunicação, mas aí do nada, fui pega de surpresa e fiquei com cara de "como assim?", então resolvi ler o parágrafo novamente, achando que podia ter entendido errado, mas eu tinha entendido certo e o que imaginava ser uma deficiência era sua escolha de vida.
Já Josh, poxa, pensa num passado literalmente desgraçado, pelo amor, o moço é o infortúnio ambulante, mas nada disso é segredo pra ninguém! Um jovem que envelheceu por obrigação, e se mantém afastado por medo da vida lhe tomar ainda mais.
O livro vai foi além de tudo o que eu imaginei. A leitura me sugou! A autora explorou brilhantemente os estereótipos que a sociedade pinta de sobre as aparência e desconstrói a cada diálogos travado entre os personagens, a cada comportamento emitido por eles. E isso inclui os coadjuvantes da estória, que apresentam papéis fundamentais em toda trama. O livro é um exercício de empatia, construção e reconstrução da linha tênue entre sonhar com o que poderia ter sido e as reais possibilidade atualmente. Um casal improvável destruídos demais para construirem algo juntos em meio a tanto caos, mas que precisam um do outro para ao menos se sentir vivos novamente. Sai destruída dessa leitura e tive uma baita ressaca, mas valeu sentir cada dor e angústia dos personagens.
Quem mais leu?


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
=)

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Resenha: O Lado Feio do Amor/ Collen Hoover


"Algumas pessoas ficam mais sabias quando envelhecem. Infelizmente, a maioria apenas envelhece. Você é um dos que só envelhece, porque é tão burro quando o dia em que nasceu".


O livro é narrado por Tate e Miles. Tate narra em tempo real, já Miles seu próprio passado, os capítulos são alternados e aleatórios. Mas pela primeiro livro com o qual me deparei com trechos onde a escrita obedece á uma simetria do dito poética, não me pergunte qual, pois não tenho ideia.
O enredo é extremamente envolvente, e desenvolvido muito bem, nenhum detalhe é perdido e os personagens são envolventes.
Miles é o mais intrigante, o odiei e o amei, quis bater nele e também quis consolá-lo, porque convenhamos ele nem precisa fazer força pra ser sexy e totalmente atraente. O que me faz perdoar Tate por todos os deslizes e fraquezas. Afinal que nunca acreditou no ditado "água mole em pedra dura, tanto bate até que fura". Pois é, se tem uma pessoa persistente, com tendência á suportar a rejeição e frieza, por conta da ínfima probabilidade de fazer Miles mudar, essa é Tate, uma salva de palmas para essa garota.
O que ela não sabe, nem nós reles leitores (até nos ser contado) é que o buraco é mais em baixo com o coração gelado do moço. O moço de auto condenou e se penitenciou por um passado cheio de dor, perda e culpa, ao longo de anos não permitiu se envolver com ninguém, são se acha digno de redenção, até Tate aparecer e por todas suas convicções a prova, travando uma árdua guerra interna. Se ela é a personificação da persistência e esperança, enquanto Miles do controle e obstinação. Eu amei tudo, na época, foi meu primeiro contato com CoHo, e como vocês já sabem, atualmente leio até receita de bolo dessa mulher! Mais alguém aí amou e se desidratou com essa leitura?


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
💙😘

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Recebidos de Janeiro / Editora Novo Conceito


Oi gente linda!!!
Felicidade é receber um kit maravilhoso desse como "Boas-Vindas da @novo_conceito, ao parceiros de 2017 - eu amei ❤!
Só tem lançamento 😱!

Desintegrados
Fogo Contra Fogo
Banco Como a Neve
Darkmouth
A Menina Que Não Acredita em Milagre
Sussurros do Pais das Maravilhas

Nem sei por qual começo! Me deem dicas! Quais já das séries vocês já leram? Quais querem ler?


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
😘😘😘

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Resenha: Novembro 9/ Collen Hoover


"Quem quer que tenha dito que a verdade machuca estava sendo otimista"
.
Uma relação conflituosa entre pai e filha, cheia de ressentimentos, culpa e palavras não ditas.
Fallon mantém o pai em extinção, desconsiderando e não se importando com nada que ele tenha a dizer, não que ele tenha algo realmente bom ou útil a acrescentar na vida dela.
Incialmente ela passa a sensação de uma jovem extremante amargurada e rancorosa, com dificuldade em expor tudo o que sente em relação a tragédia que mudou toda sua vida, se vitimizando.
Seu pai é debochado e não tem filtros pra falar com a filha. No meio de um ataque verbal em público, Ben surge para salvar Fallon do próprio pai.
Ben é aquele cara de pouca idade, com pouca percepção do quanto é atraente - típico bonitão/ rústico/ sensível, será?
Ao longo do livro vamos descobrir que Ben guarda segredos de proporções homéricas, e assim como Fallon ele tem um histórico traumático, e ambos estão mais conectados do podemos imaginar.
A amizade entre eles inicia de forma peculiar. Os diálogos são engraçados, curiosos e super articulados. Após esse encontro "causal", eles combinado de se reencontram a cada ano na mesma data, porém muita coisa pode acontecer nesse abismo temporal, afetando diretamente o caminho e as escolhas de cada um.
Eu estava estranhando esse roteiro leve e jovem, mas não seria CoHo se ela não tirasse nosso chão sem piedade alguma. A primeira grande reviravolta acontece, é um mal entendido terá proporções maiores ao longo de mais um ano de distância.
Só que as coisas não param por aí, quando já conformada com o rumo da estória, o batimento cardíaco no ritmo razoavelmente estável, a autora aponta o dedo na nossa cara e diz "tá felizinha? acho que tinha acabado?", e mais uma vez joga um bomba no nosso colo, essa sim de tirar o ar dos pulmões, o chão sob os pés e parar o batimento cardíaco.
A narrativa é incrível, achei bem diferente dos livros anteriores dela, temos menos tato nas descrições e mais passagem de tempo, valorizando mais relação dos protagonista e seu amadurecimento ao longo dos anos. Simplesmente arrebatador, intenso e surpreendente maravilhoso! Quem já leu???


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
❤️😘

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Resenha: A Garota no Trem/ Paula Hawkins

O livro é um trillher psicológico narrado na primeira pessoa. Os capítulos são aleatoriamente contados pelas protagonistas chave na trama.
A construção dos personagens são ímpares. O enredo e incrível, não há nada de extraordinário na vida dos personagens, ninguém é famoso, popular ou algo do género, são pessoas comuns, vivendo em suas rotinas, com seus dramas pessoais - gente como como a gente, histórias como a nossa, a dos nossos amigos, vizinhos e conhecidos. Estórias isoladas com uma variável comum, o desaparecimento de Uma mulher e um leque grande de possibilidade. Ela fugiu? Foi assassinada? Se foi por quem? Qual motivo? Ao que parece a fatídica noite é uma incógnita para os leitores que se deparam a cada capítulo com uma nova peça desse imenso quebra cabeça.
A escrita é incrível, com uma articulação de falas e fatos magistral, um dos poucos livros em que a estória não corre freneticamente, ela vai esvaindo aos poucos - com um brilhante, chocante, marcante, deprimente, satisfatório e real!
Quero ver o filme, mas pelo trailer, vi que foi bemmm romantizado!


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
=)

domingo, 8 de janeiro de 2017

Resenha: Prometida/ Carina Rissi


"Mas a verdade é que sonhos são apenas isso: fantasias que nos ajudam a tolerar a realidade"
.
.
O livro é narrado na 3ª pessoa, portanto temos acesso aos pensamentos de todos os personagens.
Logo nas primeiras paginas tive um ataque de fofura e um reencontro com Sofian! Mas tive uma nova visão de Elisa, ela não me parecia mais a doce, feliz e sonhadora menina. Estava mais apática e questionadora, a menina amadureceu ao longo dos anos e endureceu um pouco para a vida.
As coisas não se encaixam no começo, a paixão arrebatadora entre ela e Lucas até então seu noivo, parece ter sido abalada, não apenas pela viagem do moço a estudo na Europa, mas por segredos, mentiras e palavras não ditas. A distância que agora exista entre eles era maior que o continente, que um dia os separaram.
O mal da humanidade e dos relacionados é a falta de comunicação! Por Deus, Lucas e Elisa estavam sofrendo e impondo sofrimento um ao outro por falta de diálogo. Muito mais Elisa, que poderia ter pedido ajuda a cunhada e ao irmão, evitando toda essa distância, dor e aborrecimento. Eu sofri demais vendo o coração de ambos se estilhaçando a cada palavra não dita ou mal dita, ou ainda pior mal interpretada. Elisa apesar de ter mudado muito, era muito limitada mandando sinais confusos e acreditando que tudo era um vingança de Lucas, pelo que ela teoricamente havia feito. É muito estranho me deparar com os comportamentos das mulheres naquela época e por isso fiquei irritada com Elisa, mas ela era um menina que não conhecia nada da vida, diferente de Sofia nos livros anteriores entendem minha leve frustração? Não que Lucas não agisse como um babaca às vezes, ao que parece essa habilidade vem dos homosapies e perdura até hoje.
Quantos mal entendidos podem ser evitados quando somos honestos, francos e verdadeiro?
Li em um dia e olha que são mais de 400 páginas! Tem muito mistério envolvendo mortes, drama e humor é claro!O final foi incrível, um sopro de paz e um fechamento digno de toda a série! As pontas soltas foram todas ligadas com maestria, só uma que ainda me tira o sono. Quem já leu?O que vocês acharam?


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
=)

sábado, 7 de janeiro de 2017

Resenha: O Erro - Livro 2/ Elle Kennedy


"É difícil de sentir intimidade por um cara que está comendo ursinhos de goma".


Logan é o amigo de Garret, que é afim de Hannah, vocês se lembram do primeiro livro? Pois bem, o cara continua afim da namorada do amigo, vivendo esse sentimento no mundo platônico, afogando as magoas de copo em copo, de mulher em mulher - desenfreadamente.
Grace é a virgem, novata do primeiro ano da Briar - agora esqueça o estereotípico de pobre coitada, mais uma vez a protagonista da autora não é assim - tem uma amiga louca, de índole duvidosa - o oposto dela, que estava mais que correndo atrás de Dean, amigo de Logan e Garret. Logan não é nem de longe estereotipo ideal de Grace, mas parece que teremos mais um "os opostos se atraem".
A escrita é ótima! O enredo é leve, fluído, uma delicia de ler!
Os diálogos são incríveis, cheios de um humor ácido!
A moça não tem filtro cérebro boca, e solta cada pérola digna de comédia romântica teen da sessão da tarde - realmente você tem vergonha alheia com os estimulantes diálogos e pensamentos que ela trava ao longo do livro. Estimulante também são as rodas de conversa de Logan com os amigos, acho até eufemismo.
Os momentos em que "acabam" passando juntos são sempre inusitados e não programados, a única vez programada se transforma no grande "O ERRO". E poxa, eu fiquei com um puta dó do cara, sabe quando você tem uma conversa esclarecedora, que salva sua vida e de mostra o caminho? Pois bem, Logan tem isso, mas exatamente uns minutos depois de pôr tudo a perder.
Já Gracie, coitada, parece que as humilhações se tornaram uma constante na vida dela. E o que era pra ser uma decepção toma proporções maiores.
Mais uma vez a autora me manteve longe da sociedade por horas, não parei de ler até acabar. A escrita dela é ótima, o enredo traz alguns temas típicos de YA, com uma dose de energia e alegria. Amei amei amei! Quero mais! Alguém me diz que vai rolar um extra!
Eu realmente amei! E tô ansiosa pelo terceiro livro que a @editoraparalela acabou de anunciar 😍!


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
😘

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Resenha: Senhorita Aurora/ Babi A. Sette


“Olha o meu coração, seu idiota. Olha o que você fez. Olha para mim e me enxergue de verdade"


Nicole é uma brasileira que desde que sempre vive e respira ballet; com muita dedicação e depois de transpor algumas barreiras ela alcança o sonho de entrar para o ballet de Londres. E após três anos tem a chance de alcançar o ápice de sua carreira dando vida a personagem principal.Mas como a vida nunca foi fácil, a moça vai ter que encarar o "de mal com o mundo" feat. "Ranzinza ever" Hunter, o mais jovem maestro aclamado por todo mundo, que pela primeira vez resolve da o ar da graça em um ballet. Durante os ensaios ele não poupa críticas ao elenco, mas Nicole parece ser o alvo maior. Porém a determinação, ousadia e curiosidade da moça a faz conhecer um Hunter mais humano. E movida por essa curiosidade, ela resolve ir atras da fera em seu covil.
Depois de desvendar o segredo mais obscuro de Hunter, Nicole faz a escolha mais madura com base em todas as probabilidades. Contudo um acidente por lhe tirar seu maior sonhos, logo agora, bem nesse momento e ninguém poderá ajudá-la. Mas recomeços são possíveis, porém precisam ser queridos.
Li esse livro em uma madrugada - ele tem humor, drama, romance e uma pitada de A Bela e a Fera. A autora aborda um tema super polêmico ignorado pela sociedade que finge não haver preconceito, o que é uma grande mentira. Meu coração ficou apertado quando o mesmo foi abordado, tentei me colocar no lugar de ambos os personagens e simplesmente fiquei angustiada, sentindo toda dor escrita ali, pensei em como muitas pessoas passam por aquilo e não tem a mesma sorte de encontrar sequer uma "Nicole" em sua vida. Os personagem são construídos maravilhosamente; Hunter tem a alma de um artista misterioso a ser desvendado, amei até as grosserias dele. Já Nicole, tive uma desavença com ela mas pro final do livro, quis dar um puxão de orelha nela, não conseguia compreender onde tinha ido parar aquela mulher madura e determinada, claro que o chão dela foi tirado, só perdoei pelo desfecho de tudo. Babi deu um fechamento cheio de esperança e compaixão, um show de empatia. Esse é um livro que transforma. Preciso dele físico na minha estante ❤️😍!


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
=)

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Resenha: Sweet - Livro 3/ Tammara Webber


"O otimismo é muito bom, mas não tem nada a ver com resolver problemas."
🚘 🔧

SWEET é um spin-off da da série Contornos do Coração. Quem se lembra da briga épica de Lucas no tempos de escola que rendeu um melhor amigo? É isso aí, vale conhecer mais sobre Boyce que diferente de seu amigo, permaneceu na cidadania pitoresca à beira mar. Depois de muito sofrer com o abandono da mãe, a morte do irmão e as consecutivas agressões físicas e verbais do pai alcoólatra, está livre e finalmente terá paz - seu pai (finalmente) morreu.
E sabe quem voltou pra cidade depois de terminar a faculdade? Pearl, a paixonite aguda de Boyce desde sua infância. Apesar de nunca perderem o contato, a amizade deles era um segredo para toda a cidade. Pela primeira vez Pearl resolve se rebelar e escolhe viverá carreira do seu sonho, mas as consequências serão bem graves e ela precisará da ajuda de seu velho amigo.
A vida roubou tantos momentos de Boyce, que vemos um garoto, um menino que foi negligenciado de todas as formas, que precisou virar adulto antes da hora e perdeu coisas simples, mas significantes da vida. Mas como desgraça pouca é bobagem, o moço vai receber um bela rasteira da vida - porque é claro o velho pai ferra com ele até depois de morto.
Porém a proximidade do casal se torna cada vez mais óbvia quando ambos precisam se ajudar para superarem as facetas da vida. A proximidade denúncia os sentimentos cada vez mais óbvio e a tentação falará mais alto, o problema é que a comunicação deles é falha - e o "achometro" do que o outro pensa pode estragar tudo.
Até a metade do livro eu fiquei um pouco entediada. Os protagonistas me irritaram com esse jogo de pique-esconde, mas quando a trama começou a desenrolar e tudo ficou mais dinâmico eu amei! A coragem em forma líquida ajudou bastante o casal e o desfecho foi lindo! Eu esperava mais drama, mais desencontros e foi uma grata surpresa as resoluções práticas que rolou! Ah, temos também um aparição fofa de Lucas e Jacqueline ❤️!




Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
=)

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Resenha: Lead - Stage Dive 3/ Kylie Scott


"A falta geral de interesse e consideração para com todos os outros que habitam o planeta era sua definição."


Quem narra o livro é a destemida, ousada e atrevida Lena, que cai de paraquedas na vida da banda Stage Dive, mais precisamente na vida de Jimmy, o vocalista arrogante, rude, superficial, mal educado, narcisista - em reabilitação por uso de drogas e álcool - que acha que tudo e todos podem ser comprados com bens materiais. Combinação bombástica para um casal problema.
Já conhecemos o drama da vida de Jimmy no livro Lick. O que nos dá outros aspectos a serem explorados e descobertos nesse livro.
Lena é contratada para ser a assistente de Jimmy e mantê-lo longe de qualquer estímulo que possa causar uma recaída e uma nova visitinha á clínica de reabilitação.
A mulher é linha dura e não cede aos caprichos do rock star egocêntrico, ela bate de frente com ele consegue o que quer. Porém, a armadura Anti-Jimmy, sofre uma rachadura quando o grandalhão tem um momento de "bad" e fica sentimental a ponto de mostra que tem um coração, até então desconhecido. É á partir daí que Lena começa a ter problemas em separar seus próprios sentimentos, do lado profissional, decide abandonar o trabalho e seguir em frente, já que seu coração sofreu uma grande e miserável traição no passado.
O livro é muito dinâmico e engraçado, com personagem osso duro de roer. Lena é realmente atrevida e não tem medo da fúria de Jimmy, que muitas vezes se comporta como um babaca. Os diálogos que trava consigo mesma é uma comédia á parte. Assim como os passos que tentam para que ela deixe que gostar dele e as trapalhadas em que se envolve. O desfecho é digno de Dirty Dancing, eu adorei! O meu Stage Dive favorito 💙!
Ansiosa pelo lançamento de Deep!


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru

 ❤️😘



segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Resenha: O Leão Ferido/ Mia Sheridan


"Sabe como é preciso coragem para sair à rua todos os dias com um coração sensível pronto para ser caçado? Para continuar a amar? Merda, o caminho mais fácil e endurecer."


Resenha:
O livro versão de Léo e alterna capítulos de um passado recente e acontecimentos atuais, ambos permeados de lembranças de sua infância na casa de abrigo e no lar adotivo.
Após uma série de acontecimentos catastróficos e autodestrutivo, Léo/Jake inicia ou tenta iniciar uma nova fase em sua vida e está disposto a reencontrar Evie.
Evie vai bem obrigada! No melhor estilo mocinha imaculada, Evie precisou batalhar muito pra chegar um chegou - independentemente e sonhadora, diferente de Léo, a moça não perdeu a essência apesar de toda dor, abandono e sofrimento a ela incumbido. Léo se fechou e tentou entorpece-se de todas as formas até que o fundo do posso chegou, mas ele ainda teve uma segunda chance, uma segunda chave de recomeçar depois de um ano se preparando pra isso.
Reencontrar Evie foi fácil, difícil foi a decisão de esconder toda a verdade é passado na moça e iniciar de uma forma que o final era eminente.
A escrita e fácil de ler, a estória é bem articulada até certo ponto, acho que poderia ter explorado o tema polêmico de Léo no passado, assim como dado um desfecho digno e impiedoso a Lauren, achei que só nisso o enredo pecou. Mas adorei a premissa, o desenvolvimento e também os personagens. Confesso que não li a versão dela, mas também não pretendo. Pelo que pesquisei essa versão é mais rica em informações do que a outra. O que eu mais amo nessa série é realmente a fidedignidade do personagem com as características do signo referente ao zodíaco. Mas confesso que Archer frustrou qualquer relação que teria com os demais livros da série, ele elevou minhas expectativas a estratosfera.
Quem aí já leu? Vou perder muito não lendo a versão dela?


Conteúdo exclusivo e em primeira mão? Siga nosso instagram @naoemprestolivros!
Beijos, Bru
💛😘
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...